[Bloco K] Qual a importância da Gestão de estoque eficiente?

A gestão de estoque de uma empresa exerce uma importante função mediante o equilíbrio organizacional. Como planejamento, essa gestão aponta quando comprar e ainda analisar e projetar os números relacionados a vendas – demonstrando dados sobre boas e más decisões tomadas pela administração e produção da empresa. O estoque é um conjunto de produtos, sejam eles corpóreos ou incorpóreos. Havendo os que são considerados matéria prima, produto intermediário, produto acabado ou em elaboração, dentre outros. São itens que poderão ser utilizados na produção, direta ou indiretamente, bem como partes de produtos, embalagens, componentes para a elaboração do produto final, assim como ele, propriamente dito.

Uma gestão de estoque eficaz auxilia na  produção de quantidades de insumos e mercadorias a um nível ideal, sem excedentes, criando uma vantagem competitiva para a empresa em relação aos recursos financeiros, que não precisam ser comprometidos sem a devida necessidade. Diminui desperdício, seja de material ou mesmo de tempo dos colaboradores da produção, controle maior do setor administrativo e consequentemente maior tranquilidade na condução da empresa como um todo. O estoque é, portanto, responsável por otimizar todos esses recursos e melhorar a saúde financeira da empresa, livrando-se do que não é mais útil e criando espaço para novidades e oportunidades.

Devido ao início da obrigatoriedade da transmissão mensal no SPED FISCAL dos registros K200 e K280 do bloco K, a partir de 01/2019 (assunto já discutido anteriormente em comunicados e reuniões exclusivas), ressalta-se ainda mais a importância do foco na gestão do estoque. O bloco K apenas será gerado de forma adequada caso todas as informações que envolvam o estoque da empresa estejam corretas. NCM, Tipo do item, fatores de conversão da unidade de medida, Ficha técnica, o registro completo das NF-es de entrada e muito mais. Tudo isso deverá ser revisto pela empresa para que o estoque e sua gestão estejam preparados para essa nova obrigação.

Um outro ponto importante é que uma fração considerável do Capital de Giro institucional está investido no estoque. Por isso, manter um Ciclo Operacional consistente e adequado as condições que a empresa precisa é essencial. Quando o estoque permanece “imóvel”, torna-se um investimento de menor rotatividade, consequentemente atrasa a movimentação de disponíveis, podendo levar em certos casos a gerar prejuízos para a empresa por conta do atraso neste ciclo. Observar bem o estoque, portanto, é um fator crucial, até mesmo para que o mesmo não pereça – sofrendo estragos e danos, ou mesmo tornando-se obsoleto. Porém, tenha em mente que o estoque, ainda que não necessite ser robusto, deve sempre suportar às demandas de fabricação, para que a produção não pare por falta de material, e até mesmo, em alguns casos, para que se tenha produtos de pronta entrega, se for uma das formas de trabalho da organização. com pouca diversidade ou com falta de mercadoria. Deve ser mantida sempre uma quantidade ideal no estoque, para cobrir as demandas dos planejamentos mas sem exageros, para não “imobilizar” grande quantidade de Capital.

Uma gestão de estoque eficaz é primordial para se ter informações precisas, ágeis, confiáveis e de qualidade, seja para a administração da empresa, para a contabilidade, agentes financeiros e até mesmo clientes e fornecedores. O investimento na eficiência e eficácia da gestão de estoque de sua empresa pode ser o diferencial de se posicionar melhor no mercado perante seus concorrentes, ter mais facilidade e praticidade na administração da empresa, estruturar melhor o ciclo operacional da organização e maximizar lucros.

Deixe uma resposta